6 dicas para ser mais criativo

Todo mundo é criativo. Porém, algumas pessoas não sabem aproveitar o poder criativo que têm. A criatividade é um diferencial em vários ramos de atuação e certamente quem faz uso dela obtém melhores resultados.

Seja nos negócios, na vida acadêmica e social, ser criativo vai fazer uma grande diferença. Mas se a criatividade é algo que todos possuem, como fazer para desenvolvê-la? Como manifestá-las nas mais diversas formas? Foi pensando em responder essas perguntas que listamos algumas dicas.

1 – Abra-se para o novo

A criatividade se desenvolve em quem não tem a mente fechada. Esteja aberto para novas ideias e busque novas soluções além do mundo em que vive. Quanto mais contato com novas ideias, maior a possibilidade há de encontrar inspirações para a criação. Abrir-se para o novo também é exercitar a curiosidade.

2 – Busque conhecimento

O conhecimento é um combustível. Através dele, surgem novas ideias e com isso a criatividade ganha espaço. Portanto, a busca pelo conhecimento vai contribuir para que a criatividade se desenvolva. Faça viagens, leia livros, assista filmes, frequente museus, teatros, enfim, alimente-se de novas ideias e, quando menos esperar, a criatividade se manifestará. E não se limite no que se refere à busca do conhecimento. Estudo de tudo, desde áreas de conhecimento com as quais se identifica a outras que jamais pensou em conhecer. Quanto mais informações obtiver, mais bagagem criativa terá.

3 – Fique um pouco sozinho

É na solidão que uma grande ideia nasce. É quando paramos que as coisas começam a se conectar e, assim, a criatividade se expressa. Na busca pelo conhecimento, agregamos informações diversas e isso cansa o cérebro. Ele trabalha como um louco processando essas informações e se cansa. Portanto, ficar sozinho e em silêncio também ajuda no processo de criação.

4 – Acredite na sua criatividade

Uma das condições básicas para desenvolver a criatividade é acreditar que podemos ser criativos. Abandone a ideia de que não tem criatividade, que as coisas não fluem para você. Isso cria um bloqueio difícil de ser revertido. A mente comanda todo o processo de criação, portanto, enquanto ela estiver com convicção de que não tem capacidade de se expressar livremente, ficará travada.

5 – Pense muito

Analise tudo à sua volta. Exercite seu pensamento sobre tudo o que se passa em sua vida. A mente, como já foi dito, é importante no mecanismo da criação, então, exercite-a. E não tem maneira mais eficaz de exercitar a mente do que pensando. Olhe o mundo ao redor e pense como ele seria sob os mais diversos aspectos. Outra dica importante é colocar as ideias no papel. Todos os dias, ao surgir qualquer ideia ou pensamento criado, anote. A prática trará resultados incríveis.

6 – Seja você mesmo

Criatividade tem tudo a ver com originalidade. Evite copiar ideias e não siga tendências, afinal, elas são o posto da criatividade. Busque seus próprios caminhos e verá que é dentro de você mesmo que encontrará fontes criativas que vale a pena.

A criatividade é um potencial que pode e deve ser explorado, portanto, essas dicas vão ajudar a colocar suas ideias em ação. O cerébro é uma máquina que precisa ser exercitada e agora que você sabe disso, estimule os momentos criativos.

Como você faz para exercitar a sua criatividade? Divida a sua experiência com a gente nos comentários!

Comentários (01)

  1. Já parou pra pensar que as vezes esquecer pode ser mais importante que lembrar? Durante o nosso desenvolvimento vamos adquirindo muitas crenças e pouquíssimas vezes paramos para questionar.
    Deixe eu te desensinar algo. Criatividade não é um dom. Podemos sim, aprender a ser mais criativos.

    Dom natural
    A criatividade é uma das características mais fundamentais do ser humano. Todos nós nascemos com ela. Quando eu digo “nós”, me refiro a nós seres humanos. É bom deixar claro, já que existem textos sendo escritos por robôs. Dizem que o criativo é a criança que sobreviveu. Abraham Maslow tem uma frase legal: “O homem criativo não é aquele comum que se
    acrescentou algo. O homem criativo é o homem comum no qual não se tirou nada”.

    Você já deve ter notado como as crianças são criativas. Falam o que pensam, sem medo do julgamento e fazem conexões improváveis pois ainda não tem um repertório amarrado por crenças limitantes. Acontece que durante todo o nosso crescimento vamos sendo “bloqueados” pela sociedade, tentando nos encaixar nos padrões predefinidos. Nossos pais dizem “não fala bobagem menino” quando tentamos pensar fora da caixa e nossos professores desenham um circulo oval quando não acertamos as respostas do gabarito. Thomas Edison aos 7 anos foi expulso da escola por ser considerado um “atrasado mental” sendo que na verdade era movido pela curiosidade por querer saber o porquê de tudo.

    Crescemos, estudamos, nos formamos, procuramos um emprego formal e acreditamos que esse é o ciclo natural da vida. Dividimos as pessoas em 2 grupos: pessoas criativas e pessoas não criativas. Ser criativo? Eu não nasci pra isso. Atribuímos a criatividade e as boas ideias a uma inspiração divina, fora de controle e somente para artistas, músicos e profissionais de publicidade e propaganda.

    Na vida, as vezes temos que apagar algo para escrever algo novo. Gostaria que você apagasse da sua mente que criatividade é um dom. Todos nós somos criativos, e estamos sendo criativos desde que o mundo é mundo. O que mudou no meio do percurso é que algumas pessoas foram mais bloqueadas do que as outras. Entenda que a criatividade pode sim ser treinada e que não precisamos de ferramenta nenhuma para praticar, somente a nossa imaginação. Assim como várias outras, a criatividade é uma habilidade que pode ser desenvolvida através da repetição.

    Fonte: http://www.pagebooks.com.br/software-criativo

    Mas como eu posso treinar a minha criatividade? Ao longo dessa viagem muito louca, você vai entender bem como fazer isso. Antes disso, deixa eu explicar mais uma coisa. Quando estimulamos o nosso cérebro com novas ideias ou aprendemos algo novo, ele se expande, se adapta e se molda criando novas conexões. Isso se chama Neuroplasticidade. É a nossa capacidade de continuar sempre aprendendo. Ou seja, quanto mais estimulo, mais conexões nervosas temos e mais fácil se torna o processo criativo.

Responder Cancelar